ÚLTIMAS NOTÍCIAS

Em dia internacional, SP promove seminário sobre síndrome de Down


dia_internacional

No sábado, Dia Internacional da Síndrome de Down, acontece simpósio com a presença da secretária de Estado Linamara Rizzo Battistella

No próximo dia 21, das 7h30 às 18h, a Secretaria de Estado dos Direitos da Pessoa com Deficiência recebe o simpósio “Minhas oportunidades, minhas escolhas”. Em comemoração ao Dia Internacional da síndrome de Down, o evento acontecerá na sede da pasta, localizada na zona oeste da capital, e contará com a presença da secretária de Estado Linamara Rizzo Battistella.

Com o objetivo de aprofundar o debate sobre a síndrome de Down e construir um amplo processo de discussão e divulgação do tema, o evento será organizado pelo Instituto Ibero Americano de Pesquisas e Diretrizes da Atenção à Síndrome de Down (IPDSD) e o Centro de Estudos e Pesquisas Clínicas de São Paulo CEPEC-SP. 

Entre os temas abordados, estão “Educar aprendendo e ensinando com responsabilidade”, “Minhas oportunidades, minhas escolhas: nossas conquistas”, “Desenvolvimento humano inclusivo sustentável”, “Neuronutriciência, saúde e bem-estar. O estado da arte na síndrome de Down”. Mais informações, no linkwww.pessoacomdeficiencia.sp.gov.br.

O dia 21 de março é considerado o Dia Internacional da Síndrome de Down e foi proposto pela Down Syndrome International por fazer alusão à trissomia do cromossomo 21, porque as pessoas com síndrome de Down carregam 3 cromossomos número 21. No Brasil, estima-se que 300 mil pessoas tenham Down e que destes, 30 mil estejam em São Paulo.

A data é comemorada desde 2006 e sua importância está no fato de reconhecer que o indivíduo com síndrome de Down merece respeito, garantia de direitos e oportunidades de inclusão social. O objetivo é disseminar informações sobre a síndrome e conscientizar a população sobre a importância da discussão acerca do tema.

 FONTE: Assessoria de Imprensa da Secretaria dos Direitos das Pessoas com Deficiência/SP


Emílio Figueira

Por causa de uma asfixia durante o parto, Emílio Figueira adquiriu paralisia cerebral em 1969, ficando com sequelas na fala e movimentos. Mas nunca se deixou abater por sua deficiência motora e vive intensamente inúmeras possibilidades. Nas artes, no jornalismo, uma vasta produção científica, é psicólogo, psicanalista e teólogo. Como escritor é dono de uma variada obra em livros impressos e digitais. Ator e autor de teatro. Hoje com cinco graduações e dois doutorados, Figueira é professor e conferencista de pós-graduação, principalmente de temas que envolvem a Educação Inclusiva.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Required fields are marked *

*