ÚLTIMAS NOTÍCIAS

SP promove III Prêmio Melhores Empresas para Trabalhadores com Deficiência


1

Podem se inscrever empresas públicas ou privadas de micro, pequeno, médio ou grande porte que contem com colaboradores com deficiência e empreendedores com deficiência até o dia 30 de setembro pelo site http://pmetcd.sedpcd.sp.gov.br 

Com o objetivo de dar visibilidade às boas práticas relacionadas a inclusão profissional de pessoas com deficiência e estimular as demais organizações a aperfeiçoarem seus programas de respeito a diversidade humana, a Secretaria de Estado dos Direitos da Pessoa com Deficiência anuncia as inscrições para o III Prêmio Melhores Empresas para Trabalhadores com Deficiência. Podem se inscrever empresas públicas ou privadas de micro, pequeno, médio ou grande porte que contem com colaboradores com deficiência e empreendedores com deficiência que possuem o Cadastro Nacional da Pessoa Jurídica (CNPJ) no Estado de São Paulo até o dia 30 de setembro pelo site http://pmetcd.sedpcd.sp.gov.br. A premiação será em dezembro de 2016, em São Paulo.

Nesta edição, o prêmio ampliou a abrangência de empresas participantes motivado por uma pesquisa realizada pelo Sebrae em 2015 que identificou que quatro em cada dez adultos no Brasil são empreendedores, já possuem um negócio ou estão envolvidos na criação de uma empresa, o maior índice dos últimos 14 anos e quase o dobro do registrado em 2002, quando era de 20,9%.

 Para as empresas, serão avaliadas a promoção da política dos direitos da pessoa com deficiência, igualdade de oportunidades, grau de sustentabilidade dos projetos, disponibilidade de materiais e psicológicos, que viabilizem ao trabalhador com deficiência condição plena para desempenho de suas funções, visando sua inclusão social, autonomia e independência no ambiente de trabalho e potencial de reaplicação e multiplicação das iniciativas. No caso das grandes empresas, essas também serão analisadas sobre o cumprimento da legislação (Lei de Cotas).

 Já os empreendedores com deficiência, serão avaliados pela relevância e qualidade das informações prestadas, principais desafios superados e relativos à deficiência, tempo de implantação e viabilidade, impacto e alcance da empresa, potencial de replicação e principais resultados alcançados.

 A avaliação terá quatro etapas: inscrição no site, preenchimento de questionário, seleção das empresas finalistas e classificação da comissão julgadora. As três melhores pontuações de cada categoria serão premiadas.

No âmbito internacional, a Secretaria de Estado dos Direitos da Pessoa com Deficiência de São Paulo lança o “Reconhecimento Global – Boas Práticas para Trabalhadores com Deficiência”, iniciativa que irá reconhecer organizações com programas de inclusão para pessoa com deficiência no mercado de trabalho. Empresas nacionais e internacionais públicas ou privadas poderão se inscrever até o dia 30 de setembro pelo sitehttp://pmeri.sedpcd.sp.gov.br/. A cerimônia de premiação será no dia 2 de dezembro, na sede da Organização das Nações Unidas, em Nova York, véspera do Dia Internacional das Pessoas com Deficiência para celebrar o 10º aniversário da Convenção das Nações Unidas sobre os Direitos das Pessoas com Deficiência.

 As empresas selecionadas pela comissão julgadora serão agraciadas simbolicamente com um troféu e valorizadas por seus investimentos e estratégias utilizadas para incluir de maneira ética e responsável os profissionais com deficiência em seu quadro de colaboradores. As experiências estarão relatadas em uma publicação (em espanhol, inglês e português) elaborada pela Secretaria de Estado dos Direitos da Pessoa com Deficiência.

 O “Reconhecimento Global – Boas Práticas para Trabalhadores com Deficiência” conta com a colaboração da Assessoria Especial para Assuntos Internacionais do Governo do Estado de São Paulo, da consultoria iSocial e suporte do UN Global Compact, além de parcerias com agências internacionais como a FRAmericas, ICCC, IDA, RIADIS, PNUD e Rede Brasil do Pacto Global. A iniciativa também recebe apoio de representações diplomáticas sediadas no Estado de São Paulo e de suas Câmaras de Comércio Exterior, especialmente dos países que tem legislação específica voltada à empregabilidade de pessoas com deficiência.


Emílio Figueira

Por causa de uma asfixia durante o parto, Emílio Figueira adquiriu paralisia cerebral em 1969, ficando com sequelas na fala e movimentos. Mas nunca se deixou abater por sua deficiência motora e vive intensamente inúmeras possibilidades. Nas artes, no jornalismo, uma vasta produção científica, é psicólogo, psicanalista e teólogo. Como escritor é dono de uma variada obra em livros impressos e digitais. Ator e autor de teatro. Hoje com cinco graduações e dois doutorados, Figueira é professor e conferencista de pós-graduação, principalmente de temas que envolvem a Educação Inclusiva.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Required fields are marked *

*